menu
arrow_forward

O que é carência no plano de saúde e por que ela existe?

Dezembro 06, 2019


A carência no plano de saúde corresponde ao período em que o plano de saúde foi contratado, mas que o beneficiário, apesar de pagar a mensalidade, ainda não tem acesso a determinadas coberturas.



A existência da carência no plano de saúde é uma prática justificada para que as empresas não tenham prejuízos na realização de procedimentos e que possam fazer uma reserva financeira para atender o novo beneficiário.

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que regula os planos de saúde, para saber quanto tempo você deve aguardar até ser atendido em um determinado procedimento é necessário se informar na assinatura do contrato.

Pela legislação de planos de saúde, para planos individuais ou familiares novos ou adaptados, contratados a partir de 02 de janeiro de 1999 ou adaptados à lei, a empresa que vende o plano de saúde pode exigir carência de no máximo 24h para casos de urgência e emergência, 300 dias para parto, 24 meses para doenças e lesões preexistentes e 180 dias para demais situações.

Vale saber:

 

Os planos de saúde podem cobrar carência?

Sim. Cada plano tem autonomia para estipular carência sobre os atendimentos, exames complexos e simples, consultas, internação e parto, desde que não ultrapasse o prazo máximo definido pela ANS.

O que eu preciso saber sobre a carência no plano de saúde?

Como a carência varia de acordo com o plano de saúde adquirido e conforme cada prestadora de serviço, é importante estar atento às informações sobre o plano contratado na assinatura do contrato. Atualmente, estão disponíveis três tipos de planos de saúde no mercado: plano de saúde individual/familiar, Coletivo por adesão e Coletivo empresarial.

O plano de sáude pode exigir alguma nova carência?

Não. Se você já cumpriu o período de carência explicitado em contrato passa a ter acesso a todos os serviços e procedimentos contratados e a operadora não pode exigir que você cumpra nova carência no plano de saúde.

Quero mudar de plano, vou ter que cumprir nova carência?

Não necessariamente. Alguns planos oferecem como alternativa a portabilidade, dessa forma, os clientes que quiserem mudar de plano de saúde sem cumprir carência podem fazer a portabilidade desde que atendam alguns requisitos como: possuir plano ativo, estar em dia com o pagamento das mensalidades, permanência mínima de dois anos no plano de origem para primeira portabilidade e de um ano para segunda portabilidade.


Existem exceções no caso do cliente que tiver cumprido cobertura parcial temporária, aí, o prazo mínimo para a primeira portabilidade será de três anos; e se o cliente mudar para um plano com coberturas não previstas no plano de origem, o prazo mínimo será de dois anos.

A carência vale pra quem possui doença ou lesão preexistente?

Primeiro, é importante que você tenha conhecimento que as operadoras não podem negar a sua contratação de plano de saúde, mesmo tendo Doença ou Lesão Preexistente (DLP). Segundo, na hora da contratação você deve ser sincero sobre a DLP. Em terceiro, saiba que é possível que as empresas cobrem um período de carência total maior, mas são obrigadas a oferecerem cobertura parcial temporária.