menu
arrow_forward

Não paguei a fatura total do cartão de crédito, e agora?

Dezembro 04, 2019


O cartão de crédito pode até ser um facilitador nos dias de hoje, porém se você não tem muito controle sobre suas contas, este facilitador acaba se tornando um pesadelo. Eis um caso clássico: a fatura do cartão de crédito chegou e você não tem o valor completo da parcela. O que fazer? Deixar de pagar ou optar por pagar ao menos a fatura mínima? Esclareceremos esta dúvida nos parágrafos a seguir.



Quando você paga a fatura mínima ou metade da fatura do cartão de crédito, é como se pegasse um empréstimo que será cobrado na fatura seguinte. Este empréstimo é chamado de rotativo, e além de juros, também será cobrado o IOF. Até abril de 2017 o rotativo poderia ser estendido por alguns meses, com o cliente podendo pagar apenas parte da parcela. Porém, atualmente é possível solicitar o rotativo apenas uma vez e você terá que negociar sua dívida com o banco que colocará sua dívida num parcelamento automático.

Mas tenha cautela! Uma vez que você entra no rotativo do cartão de crédito a média por ano de juros gira em torno de 300,29%, segundo o Banco Central do Brasil. Ainda assim, é a única maneira de não se tornar inadimplente, já que com o não pagamento da fatura você pode até ter o seu cartão cancelado.

Tente renegociar sua dívida com o cartão de crédito

Se você chegar a um ponto em que todos os meses acaba optando por pagar apenas a fatura mínima ou metade da fatura do cartão de crédito, é porque a situação tornou-se fora do controle. Para evitar de pagar os juros absurdos do cartão e tornar sua dívida cada vez maior, uma saída é tentar uma renegociação com o banco. Além disso, é hora de evitar gastos desnecessários e rever o seu orçamento, economizar para pagar as dívidas e evitar que essa situação se torne uma bola de neve. Assim você evita de se tornar mais um na lista dos inadimplentes.

Entrar em contato com o gerente do seu cartão de crédito é de extrema importância para que você não caia no rotativo, já que sabemos que o cartão de crédito possui a maior taxa de juros do Brasil.

Tente a transferência da dívida do seu cartão de crédito

Se você já tentou outras opções e, ainda assim, está com suas dívidas fora de controle, uma saída é a transferência da dívida. Com esta operação você consegue trocar o débito do cartão de crédito por um empréstimo pessoal, onde a taxa de juros é consideravelmente menor, tornando-se mais fácil a quitação da sua dívida e zerando as chances de entrar nos juros absurdos que é o caso do rotativo.

O cartão de crédito, se não utilizado com consciência, acaba tornando-se uma ferramenta perigosa em nossas mãos, por isso é importante escolher o cartão de crédito com o limite que melhor se encaixa no seu orçamento e também saber a hora de parar de utilizá-lo, quando notar que as dívidas estão saindo fora do seu controle.