menu
arrow_forward

Investimentos

Nenhum parceiro encontrado!

Investimento, ou investir em fundos de investimento, tem se tornado uma constante nos últimos anos. Mas nem todo mundo entende exatamente o que significa investir e o que realmente deve se esperar quando damos o primeiro passo. Quer saber mais sobre Fundos de Investimento? Neste conteúdo vou te explicar o passo a passo, para que você saiba identificar o seu perfil de investidor e começar a investir da maneira certa. Vamos lá?

O primeiro passo é sempre o mais difícil. Mas não se preocupe. Você vai ver como é fácil. Para acertar, é preciso pensar no que significa realmente investir. E isso está muito além do que aplicar uma quantia e receber um retorno maior do que o aplicado, embora a ideia generalizada de investimento seja essa.

Investimento na Poupança: Isso está correto?

Antes de mais nada, é preciso entender que poupança é diferente de investimento. Ou seja, poupar não é investir. A não ser que seja investir em precaução.

Ainda que você tenha uma poupança gordinha aplicada, ela não rende o que se espera para ser considerado um bom investimento.

Poupar é se precaver, é guardar uma quantia para cobertura de eventuais incidentes. Ou até uma viagem, talvez. Mas investir é rentabilizar esse dinheiro. É fazer esse dinheiro se tornar o mais rentável possível. Ou seja, poupar e investir não são a mesma coisa.

Mas afinal, o que é investimento?

Em palavras populares, investir é comprar barato e vender mais caro. Um exemplo disso é um imóvel, por exemplo. No entanto, indo mais fundo, podemos falar de fundo de investimento.

Um fundo de investimento é uma forma de aplicação financeira. E como tal, bem mais rentável que a poupança. Quando falamos em fundo de investimento, temos um tipo de aplicação que é formado pela união de várias pessoas que investem seu dinheiro em conjunto. O valor total desse investimento é dividido em cotas. Assim, quem investe em um determinado fundo de investimento é chamado de cotista. Quem investe mais, tem mais cotas. Logo, o percentual de lucro é maior para esse investidor.

Esses fundos de investimentos são geridos por empresas especializadas. Não significa que você precisa contratar uma empresa à parte. Pelo contrário. Ao investir em um fundo, você escolhe justamente quem fará a gestão. Esse custo de gestão também é dividido. Portanto, saber escolher a empresa de gestão que melhor se adequa ao seu perfil é fundamental. Bem como saber escolher o tipo certo de investimento para você.

Em outras palavras, podemos comparar o investimento em fundos de investimento com um condomínio.

Você compra um apartamento em um prédio que fica dentro de um condomínio. Esse condomínio tem um gasto mensal. O custo desse gasto é dividido entre os moradores, que pagam um valor de condomínio todo mês destinado a isso.

Ora, se você mora em um condomínio já sabe que há regras que devem ser cumpridas para que se haja um bom convívio entre os moradores do local.

E assim é com o fundo de investimento. O cotista adquire uma cota de investimento e destina a gestão dessa cota à empresa gestora que decidiu aplicar. Fazendo isso, ele concorda automaticamente com as regras dessa gestão, tal qual concorda com as regras do exemplo do condomínio. Simples e fácil.

Mas porquê você deixaria que outra pessoa decidisse aonde aplicar o seu dinheiro?

Porque essa outra pessoa é um especialista que sabe exatamente aonde aplicar, gerando lucro para ambas as partes. Entendeu?

No fim das contas, é muito simples investir em fundos de investimento.

Quais são os tipos de Fundo de Investimento?

Agora que você já sabe o que é um fundo de investimento e como ele funciona, é importante saber que existem algumas opções de fundos de investimento.

Mas antes de mais nada, para decidir em qual delas investir, você deve responder à pergunta: Você precisará do resultado do dinheiro aplicado a curto, médio ou longo prazo?

Em outras palavras, quer investir para fazer seu dinheiro render a longo prazo, trazendo maior rentabilidade ao investimento, ou quer proteger seu capital sem deixá-lo parado?

Não há certo ou errado para essa resposta. Há apenas uma resposta que diga o que realmente você pretende.

Essa tabela pode te ajudar:

Investimento em Curto Prazo: Aplicação com vencimento menor que 1 ano, o que garante baixo risco e alta liquidez. Ou seja, deve-se investir aqui quem pretende ter o retorno a médio ou longo prazo. Sem contar, que é necessário aplicar um valor um pouco acima das demais categorias.
Investimento em Renda fixa: Títulos de renda fixa, sejam públicos ou privados. É considerada uma das categorias mais seguras de fundos de investimento, pois não costuma oscilar. Ainda assim, é possível conseguir um bom rendimento, algumas vezes um CDI de 100%.
Investimento em multimercados: É um misto de investimentos. Contempla ações, câmbio, renda fixa e imobiliário. Geralmente, trata-se da opção mais arriscada, mas com maior rentabilidade anual. Em alguns meses, pode até chegar a uma rentabilidade negativa. No entanto, o montante no ano costuma compensar.
Investimento em Ações: Para investir aqui, precisa aplicar pelo menos 67% dos recursos na bolsa de valores. Geralmente, o investimento em ações são tão rentáveis quando o investimento em multimercados, ou ainda mais. No entanto, o risco também é maior.
Há mais opções, como câmbio, por exemplo. O fundo de câmbio consiste em aplicar a maior parte do seu investimento em moedas estrangeiras, como o dólar.

Mas atenção: Nunca invista por investir, sem saber no que está aplicando. Ou só porque ‘João’ aplicou. Lembre-se: é o seu dinheiro que está em jogo. Então, procure saber no que está investindo.

Fundos de Investimento: Atenção ao risco

Primeiro de tudo, já sabe qual o seu perfil? Você é um tipo de investidor conservador, moderado ou agressivo?

Pergunto isso porque para cada fundo que for investir, haverá essa informação.

E apesar do fundo de investimento em renda fixa ser a opção mais segura, há possibilidade de encontrar uma aplicação agressiva. E isso significa maior risco. Assim como investir em multimercados pode apresentar um nível de risco conservador.

Portanto, fique atento a essas informações e não fuja do seu perfil.

Lembre-se: você não está tentando a sorte. Fundos de investimento não são loterias. Por isso, avalie, identifique seu perfil e aplique. Deixe o dinheiro render e não retire antes do prazo.

Artigos

Nenhum artigo encontrado